fbpx Skip to content
Photo by Retha Ferguson from Pexels

Pre-sente

Quando eu tinha 17 anos, eu era ativa nos grupos de jovens da igreja católica, e em um dos eventos eu inovei: estruturei dinâmicas de grupos para serem feitas nos encontros. Foi um sucesso. Fui convidada para liderar mais de 30 encontros similares em um ano. 

Em uma dessas reuniões, um participante me chamou num cantinho e falou: “Essa dinâmica é estruturada. Você pensou em tudo: na música, nos textos, na atmosfera, até na organização do tempo. Isso é um dom.”

Eu gostei do elogio, e na época não entendi o significado mais profundo daquela fala. A minha vida seguiu, fui estudar, trabalhar, casar, viver, fazer “outras coisas”.

Minha vida deu voltas e voltas e sabe qual é uma das atividade que eu faço hoje com maior sucesso? Eu crio métodos, estruturo aulas, envolvo as pessoas em processos de aprendizagem.

Como eu aprendi? Eu sei fazer. Sempre soube. É um talento. É uma pena que dos 18 aos 33 anos eu não tenha olhado para ele.

O neurobiólogo alemão Gerhald Huether afirma que todas as crianças são geniais, e que seus talentos devem ser observados desde cedo com o intuito de serem desenvolvidos e lapidados. 

O que John Lennon, Leonardo Da Vinci e Mozart têm em comum? É visível que eles foram extremamente talentosos nas profissões que escolheram. Você pode achar que eles são especiais. Huether diria que as suas genialidades foram preservadas.

Todos nós temos talentos. Todos. É só observar as crianças. Umas vão ser extremamente comunicativas, outras observadoras. Algumas vão ter habilidades manuais, outras vão ter boa memória. Não existe talento melhor ou pior. Talento é talento. É um dom. Se você desenvolve, você se destaca. Observar as crianças e seus talentos, além de estimulá-las a mantê-los acesos durante a sua vida, é o maior presente que os pais podem dar aos filhos.

A sociedade não cansa de lançar tendência. A profissão do futuro, o curso que dá dinheiro, os profissionais que devem ser seguidos. Jovens de 17, 18 anos se acumulam nas escolas em busca de uma boa qualificação para o ENEM. O que importa é a nota e o curso escolhido. Poucos se importam com os seus talentos. Eles vão ficando esquecidos, empoeirados. Os pais não sabem de tudo. Eles fazem o que podem. 

O talento pode até ficar esquecido, mas ele não some. Uma vez que você tem um dom, ele lhe pertence. Nunca é tarde para tirar a poeira e estimular algo que você sabe fazer naturalmente. Não importa a circunstância. Não importa a idade. A maior tendência que você pode seguir é a sua. Aquela que veio de você e pode ir para o mundo. Nade a favor da correnteza. Você vai se divertir mais, fazer menos esforço e chegar mais rápido.

Curtiu o texto? Compartilha ;)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Cursos relacionados