fbpx Skip to content
capa_diario_anne-1024x503

Diário de Anne K. – Metaforum Internacional – Dia 02

Olá!

Em Abano temos 35 graus e um Camp bem humorado e entusiasmado.

Algumas pessoas me perguntaram sobre a diferença entre o Campus do Metaforum Brasil e da Itália, e as minhas impressões são: na Itália a língua oficial é o alemão, e 90% dos cursos são ministrados neste idioma. Os demais são ministrados em inglês com tradução para o Alemão. Além disso, o programa de cursos é mais amplo, e só 40% do conteúdo que eu vi aqui é oferecido no Brasil.

A atmosfera é muito semelhante. São pessoas que querem se desenvolver, que estão dispostas a trabalhar temas pessoais e profissionais. Há muitos momentos de interação, e muitas possibilidades de trocas culturais, profissionais e intelectuais.

O segundo dia de curso foi mais focado para aplicações práticas, inclusive com exercícios em grupo e demonstrações individuais. A ideia é nos mostrar a aplicabilidade dos conceitos, para que haja uma boa integração da teoria com a prática.

Hoje eu vou falar sobre Priming, que significa: onde eu estou focando a minha atenção. Em outras palavras, a maneira que eu olho para o mundo tem uma ressonância sobre mim. Este processo é subconsciente e involuntário. É possível gerenciar a maneira como eu lido com as minhas sensações para que eu consiga construir a minha realidade.

Sim, segundo os conceitos da Neurosistêmica, a nossa realidade é construída, por nós mesmos, e Priming é uma forma de focar no que pode fazer a diferença no nosso estado, nas nossas reações involuntárias.

Desta forma, eu posso gerenciar o meu estado através de um bom Priming, ou seja, eu posso construir uma realidade apropriada às minhas necessidades.

Para exemplificar o uso do Priming na prática, vou citar uma possibilidade de aplicação: em uma reunião empresarial sobre conflitos existentes na equipe, por exemplo, pode-se usar o Priming para focar a atenção dos participantes nos aspectos positivos da equipe, no que está funcionando, no que é positivo. Este foco levará a equipe, involuntariamente, a um estado mais apropriado para conversar sobre os conflitos, e até mesmo para solucioná-los com clareza e leveza.

Nós fizemos um exercício similar na aula, e os resultados foram surpreendentes. A Neurosistêmica nos vê como indivíduos autônomos e auto gerenciáveis, e esse será o tema do meu post de amanha: a Autopoiesis. Confesso que estou gostando muito dos conceitos do Gunther. São simples e profundos.

Estou adorando interagir com vocês. Podem me mandar perguntas inbox.

Anne K.

Curtiu o texto? Compartilha ;)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Cursos relacionados